Studio Ghibli explica por que os pais de Chihiro se transformaram em porcos

a_viagem_de_chihiro_todosri_01

Lançado de em 2001, A Viagem de Chihiro é o decimo terceiro longa metragem do famoso Studio Ghibli, sendo o filme mais bem sucedido da história do japão. Arrecadando mais de 200 milhões de dólares e ganhando o Oscar de animação em 2003.
Como todos sabem (ou deveriam saber), o longa conta a história de Chihiro Ogino, uma menina de dez anos que se encontra em mudança junto com a sua família, ao encontrar um vilarejo aparentemente abandonado, os pais de Chihiro resolvem parar para comer ali. Depois da orgia gastronômica, os pais da menina se transformam em porcos.
A história se desenvolve na jornada da garota para salvar seus pais.

A_viagem_de_chihiro_pais_porcos_todosri

Uma das grandes dúvidas de quem assiste o filme é: Afinal de contas, por que os pais dela se transformaram em porcos? Um funcionário do estúdio finalmente explicou.

Um fã do filme perguntou a Hayao Miyazaki, diretor da animação, no twitter e se surpreendeu ao receber uma resposta de mais de duas páginas. Nelas eles explicaram que os pais de Chihiro se transformaram em porcos porque a transformação representou a ganância durante a recessão japonesa dos anos 80.

A carta também explicou que a transformação era irreversível, a fim de refletir a natureza da ganância no mundo real. A carta continuou dizendo que Chihiro sabia que nenhum dos suínos no cercado eram seus pais porque sua mentalidade mudou graças as suas experiências no submundo. a carta explica que a história não é sobre uma menina com um “coração único” – é sobre uma menina que aprendeu a enfrentar seus medos através de um maior entendimento e apreciação da vida.

print_carta_a_viagem_de_chihiro_todossri

Para conhecer o cinema espanhol: Tudo sobre minha mãe

tudo_sobre_minha_mae_todosri

Uma das minhas promessas de ano novo foi a seguinte: conhecer além do cinema hollywoodano. Muito mais que uma potência econômica, os Estados unidos se tornaram também uma potência cultural (um reflexo muito claro disso é quantos termos em inglês usamos, o pessoal da publicidade que o diga). Tem tanto filme bom feito ao redor do mundo, não deveríamos nos limitar apenas ao que é feito no mainstream americano.

Em minha odisséia por mais pluralidade acabei topando com Tudo sobre minha mãe, um filme daquele diretor que a maioria de nós conhece apenas pelo nome, Pedro Almodóvar. O longa é de 1999 e ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2000. Logo depois de assistir vi que foi mais que merecido.

tudo_sobre_minha_mae_2

Por mais que ele seja “antigo”, não quero me aprofundar muito sobre a sinopse, assistir sem ter muitas informações faz parte da experiência. Possuindo uma trilha sonora maravilhosa, Almodóvar consegue em uma estrutura bastante tradicional surpreender. Aborda temas como identidade de gênero, sexualidade, fé e, acima de tudo, maternidade e amor. Cecilia Roth emociona como Manuela. Consegue passar toda a angustia, desespero, desamparo que a personagem principal está sentindo.

O cinema espanhol não cansa de me surpreender. Tudo sobre minha mãe já entrou na minha lista de filmes favoritos, é daqueles que ver uma vez não basta, sinto que assim que assistir novamente vou perceber ainda mais camadas, ainda mais profundidade.

E o melhor de tudo, está disponível na netflix, não tem desculpa para não ver.

tud_sobre_minha_mae_todosri

Diminua sua produtividade: Edição especial Jogos Online das Olimpíadas

olimpiada-2016

Os jogos olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro sem duvidas vão deixar um legado para o nosso país. A abertura foi emocionante, depois do 7×1 nos fez voltar a ter orgulho de ser das terras tupiniquins. Cada dia de competição vemos os melhores atletas do mundo quebrando recordes para conquistar uma posição no pódio.

São muitas modalidades ao mesmo tempo e isso contagia nós brasileiros que acompanhamos e torcemos por nossos representantes em busca de uma medalha de ouro. Como é bonito ver o pessoal da ginastica artística fazendo movimentos com perfeição e o que falar da nossa judoca Rafaela Silva? Ela sem dúvidas venceu seu passado, superou as criticas de preconceito e garantiu a primeira medalha de ouro histórica no judô feminino.

Historia é o que queremos fazer no futebol! Esse é o ano que seleção masculina e feminina podem garantir o ouro inédito para o nosso país e sem dúvida seria ótimo para conquistar a confiança do torcedor.

Ter consciência de todos os problemas que aconteceram e ainda acontecem no país não nos impede de torcer. E para entrar ainda mais no clima separamos para você uma categoria do site Jogos Online Grátis específica com vários games de natação, corrida com barreiras e apresentação na barra além de ótimos games para você que gosta de jogar futebol online.

Todos são joguinhos gratuitos e podem ser jogados no computador e outros funcionam no celular. Teste suas habilidades praticando vôlei de praia, fazendo gols com o time de handebol ou se preferir acerte no alvo nas competições de tiro com o arco e flecha. Escolha o seu game favorito e aproveite!

jogos-das-olimpiadas

As marcas registradas de grandes diretores

Uma série de vídeos criado pelo artista Kognata para a Criterion Collection trás uma fina seleção dos “traços” de diversos diretores famosos, aquela marca registrada de diretores como Hitchcock, Robert Bresson e Kubrick. Além da trilha sonora que ajuda a simular o clima do diretor.

Os Olhos de Hitchcock

Música Anything can happen, and usually does… On the Orient Express, por Rob Cawley

 As Mãos de Robert Bresson

Música: Schubert, Piano Sonata No. 20, D. 959, por Au Hasard Balthazar

A Perspectiva de Stanley Kubrick

Música: Requiem for a Dream Orchestral Version, por Clint Mansell

A Vista Inferior de Quentin Tarantino

Música: Kaifuku Suru Kizu, por Salyu

A Vista Superior de Wes Anderson

Música: High-Speed French Train, por Alexandre Desplat

Via: Catraca, Criterion Collection

3 Documentários para quem é aficionado por serial killers

capa_serial_killers

A morte é a única certeza que temos na vida. E é justamente este tema que levanta o interesse de muitas pessoas, mais especificamente, a morte violenta. O pior que o ser humano é capaz de fazer.
Para muitos, conhecer o mal, saber que, lá fora, existem pessoas capazes de fazer o pior apenas por diversão é motivo de curiosidade e interesse.
E como o capitalismo não brinca em serviço, diversos filmes foram feitos acompanhando de perto a vida e as mortes destes serial killers.
Reunimos aqui os três que melhor mostram a realidade destes assassinos. Confira

Aileen: Life and Death of a Serial Killer

1

Executada em 2002, Aileen era uma prostituta que foi condenada por matar, em apenas um ano, 7 homens. O documentário explora e acompanha sua vida. Mostrando que não existe ninguém completamente bom ou mau – mesmo a policia que deveria proteger todos os cidadãos tenta faturar com a história de Aileen
É fácil pintar Aileen como vilã, porém o que o filme faz pensar é se ela também não é uma vitima.

Josef Fritzl: Story of a Monster

2

Acima de todos filmes da lista, este não é recomendado para pessoas com estômago fraco. Josef Fritzl manteve sua própria filha em cativeiro por 24 anos e teve 7 filhos filhos com ela. Ele a estuprava desde que tinha 11 anos.
Ao confessar Fritzl declarou: “Eu sabia que Elisabeth não queria que eu fizesse o que estava fazendo com ela. Sabia que estava machucando-a. Aquilo era como um vício. Na verdade, eu desejava ter filhos com ela.”

The Jinx – The life and deaths of Robert Durst

3

Série documental de 6 episódios da HBO que fala sobre o milionário nova-iorquino Robert Durst. Acusado de matar várias pessoas, incluindo a própria esposa, porém usando todo seu dinheiro e influencia Dust sempre consegue escapar das acusações.
São seis episódios extremamente envolventes e revoltantes. Enquanto em making a murderer vemos diversos erros das autoridades, em The Jinx vemos o que o dinheiro pode fazer.